Arcanos Desenterrados

Em jeito de pequeno repositório, deixo-vos os textos sobre jogos de personagem que resultaram da minha colaboração nos últimos anos com a revista Bang!.

Alguns artigos terão mais interesse do que outros para os curiosos da história dos RPG, mas prometo que todos servirão para tratar qualquer caso de insónia mais aguda.

logo_bang

Continue a ler “Arcanos Desenterrados”

Anúncios

Jogos de Personagem & Cartões de Crédito

RevistaUnibanco2

A Revista Unibanco surgiu no início da década de 80 como meio de divulgação dos serviços prestados pela empresa de cartões de crédito UNICRE. Nas suas páginas encontra-se a primeira e única vez que em Portugal foi feita publicidade a jogos de personagem num meio de comunicação de massas.

Continue a ler “Jogos de Personagem & Cartões de Crédito”

Bola de Cristal (1986-88)

O fanzine Bola de Cristal serviu de “órgão oficial da Torre do Necromante”, o primeiro clube de jogos de personagem do país. Apesar de ter contado apenas com três números, saídos entre 1986 e 1988, foi a única publicação portuguesa deste tipo da década de 80, pelo que o seu conteúdo original e o tom apaixonado e amador com que foi produzido ilustram de forma notável os anos iniciais da comunidade de RPG em Portugal.

Continue a ler “Bola de Cristal (1986-88)”

Está alguém aí? A comunidade nos anúncios

Hoje, em 2017, tanto curiosos não-iniciados como jogadores veteranos têm à sua disposição uma panóplia de instrumentos de comunicação que lhes permite manterem-se em rede e continuamente informados sobre todas as iniciativas de jogo. Na década de 80, claro, a história era outra.

Continue a ler “Está alguém aí? A comunidade nos anúncios”

Lançamento da edição portuguesa de D&D (1989)

A edição portuguesa da famosa caixa vermelha de Dungeons & Dragons assinala a maior iniciativa editorial na área do RPG até hoje encetada no nosso país.

Continue a ler “Lançamento da edição portuguesa de D&D (1989)”

Começos

Na maioria das investigações históricas, mesmo tratando-se de história recente, o processo de recolha, organização e processamento de informação tende a ser de carácter solitário. Para temperar essa tendência, e porque este projecto depende em grande medida da existência de diálogo, decidi procurar um meio que me permitisse mostrar o que vou fazendo e, ao mesmo tempo, despertar o interesse dos leitores (espero eu!) e incentivar a sua partilha.

Não planeio acrescentar novos conteúdos com qualquer espécie de periodicidade declarada; eles virão apenas à medida que encontrar matéria interessante, ou, esporadicamente, quando me deparar com alguma notícia que venha a propósito. Parafraseando Python e Lovecraft (com a vossa desculpa), a falta de actividade do Fotocópias & Dragões significará apenas que está a descansar, não que está morto.

Obrigado pela vossa visita e espero que tenham tanto gozo como eu neste passeio de descoberta das origens dos RPG em Portugal.